Saiba como elaborar um Plano de Segurança para condomínios de maneira assertiva!

Com o fim de ano chegando é uma ótima hora para você começar repensar em atitudes e medidas que podem ser melhoradas para garantir a segurança do seu condomínio e valorizá-lo.

Você pode começar elaborando o Plano de Segurança Condominial. Seu condomínio possui? Se possui, está sendo efetivo?

Neste artigo falaremos sobre o tema e daremos dicas de como elaborá-lo de maneira prática e assertiva.

Boa leitura! Não esqueça de anotar todas as dicas!

Responsáveis pela elaboração do Plano de Segurança para Condomínios

Afinal, quem são os responsáveis pela elaboração do Plano de Segurança do condomínio?

Esse questionamento é muito frequente, pois a elaboração do plano exige muita técnica. Por isso, profissionais de segurança patrimonial e predial são os responsáveis por sua elaboração.

Contudo, o síndico deve participar de todas as etapas de elaboração do plano, avaliando e aprovando cada passo e se baseando, principalmente, no orçamento do condomínio.

Quais são os pontos fortes e fracos do condomínio?

Primeiramente, para começar a criar o Plano de Segurança do condomínio é necessário realizar uma análise detalhada da área de segurança, analisando os pontos positivos e negativos para traçar um diagnóstico consistente.

Portanto, demonstramos alguns pontos abaixo que devem ser analisados:

  • As normas de segurança estão sendo aplicadas em todo o condomínio?
  • A portaria do condomínio é segura? E o controle de acesso dos moradores e visitantes é realizado com segurança?
  • As câmeras de segurança, cercas elétricas, extintores de incêndio, sensores, etc; estão funcionando e estão com a manutenção em dia?
  • Quais tecnologias que o condomínio possui que estão ultrapassadas e que podem estar prejudicando a segurança de todos?
  • Quais são as principais falhas de segurança e quais são os pontos cegos?
  • Os profissionais de segurança estão capacitados para atender a todos os chamados?

Delimite os riscos

Nesta fase é essencial que seja avaliado os possíveis riscos que o condomínio pode passar para classificá-los em ordem de gravidade, sendo possível traçar estratégias de ação para cada caso.

Classifique os riscos separando-os por gravidade, probabilidade e impacto que acarretam no condomínio. E não esqueça de que nesta fase é muito importante que sejam avaliados tanto o ambiente interno do condomínio quanto o externo.

Por exemplo, o bairro que o condomínio está localizado é seguro? Quantos assaltos já ocorreram em condomínios da região? Levante estes dados.

Simulação como ferramenta de avaliação

Está é a etapa que podemos chamar de “simulação” ou “teste”, podendo ser realizada antes ou após a aplicabilidade do plano.

A simulação tem como objetivo ser mais uma ferramenta de diagnóstico para avaliar a segurança do condomínio.

Por exemplo, uma pessoa desconhecida pode ser contratada pelo condomínio para adentrar neste, sem data ou hora marcada para avaliar a segurança do local, observando a performance dos responsáveis pela segurança.

Dessa maneira, a avaliação ficará ainda mais realista, pois todos agirão sem saber que estão sendo avaliados. E o responsável deverá, com estas observações, traçar um relatório de melhorias.

O plano de segurança para condomínios – Suas medidas e estratégias de implementação

Após a delimitação dos riscos de segurança que o condomínio tem sofrido, ou pode vir a sofrer é necessário elaborar as medidas de segurança, estas devem estar de acordo com as necessidades levantadas pelo diagnóstico dos pontos fortes e fracos de segurança e devem estar alinhadas aos riscos levantados para solucioná-los.

Portanto, estas medidas de segurança devem estar separadas nas seguintes categorias:

  1. Segurança eletrônica.
  2. Medidas de segurança física.
  3. Medidas organizacionais.

Trace estratégias objetivas e realistas!

Pense nesta situação: a equipe de segurança do condomínio fez um plano amplo, indicando equipamentos altamente tecnológicos e uma equipe extra de segurança e não tiveram acompanhamento do síndico para a sua elaboração.

Contudo, na hora de executar o plano o condomínio não estava com a estrutura e manutenções devidas para recebê-los, ou até o cenário oposto: o síndico não contribuiu para a realização do plano, assim quando este chegou finalizado em suas mãos foi identificado que este ultrapassou os limites do orçamento para a compra de equipamentos e funcionários.

Nestes dois casos a equipe de segurança perderá muito tempo para reaver e alterar o plano. Por isso, é muito importante ser realista e objetivo na hora de elaborá-lo, analisando todos os pontos de maneira precisa e sempre contando com contribuição do síndico em todas as fases para não perder tempo!

Comunicação e treinamento da equipe de segurança

Para que o Plano de Segurança funcione no dia a dia no condomínio é necessário que todos estejam alinhados a este: tanto os colaboradores quanto os condôminos.

Portanto, é necessário muito treinamento para toda a equipe de segurança e, claro, deve-se manter os moradores informados e engajados quanto as condutas de segurança, disponibilizando informações sobre o plano para os condôminos em reuniões condominiais em conjunto com informativos, demonstrando as condutas adequadas que devem entrar em vigor.

Cronograma para implementação do plano de segurança condominial

O cronograma de aplicabilidade do Plano de Segurança deve ser elaborado para garantir que tudo o que foi indicado no plano seja implementado no condomínio.

Dessa forma, neste cronograma deve ser definido como, onde e quando as ações serão realizadas e por quem. Além de definir os objetivos de cada ação e delimitar o prazo de finalização destas.

O plano implementado tem gerado resultados?

Não adianta nada criar um plano de segurança e implementá-lo, se depois o condomínio não mensurar os resultados do plano.

Houve a redução de incidentes? Os equipamentos instalados estão captando com eficiência as ações dos visitantes e condôminos garantindo a segurança de todos? Faça uma análise quantitativa e qualitativa com recorrência de preferência em um curto período de tempo.

Aplique estas dicas e elabore o Plano de Segurança do seu condomínio o quanto antes!

Agora que já sabe como criar um Plano de Segurança para condomínios, aplique as nossas dicas que temos certeza que o plano ficará completo e assertivo e seu condomínio ficará ainda mais seguro.

Por fim, quer saber mais sobre as diretrizes e novidades do mundo condominial? Então continue lendo o blog da Portaria System.

Notícias que também podem te interessar:

  1. Saiba tudo sobre Administradoras de condomínio
  2. Condomínio mais Sustentável
  3. Como se posicionar em Assembleias de Condomínio

Além disso, conheça o nosso Simulador e saiba quanto custaria uma portaria remota no seu condomínio clicando aqui.